Mesmo com alta em dezembro, cerveja tem deflação em 2018
Últimos destaques Novo

Mesmo com alta em dezembro, cerveja tem deflação em 2018

deflação
Preço da cerveja no domicílio registrou deflação de 0,64% em 2018. Já em dezembro alta foi de 0,57%

O preço da cerveja no domicílio registrou deflação de 0,64% em 2018, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A queda veio mesmo com a alta expressiva em dezembro, de 0,57%.

O cenário é oposto ao do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), com elevação de 3,75% em 2018, ainda que abaixo da meta do governo federal, de 4,5%. “Após a queda de 0,21% em novembro, o IPCA registrou variação de 0,15% em dezembro, sob influência, principalmente, do grupo Alimentação e bebidas (0,44%) que, com 0,11 p.p. de impacto, foi responsável por quase 3/4 do índice de dezembro”, explica o IBGE.

No último mês do ano, seguindo a tendência apontada pelo instituto, a cerveja fora do domicílio também teve alta, fechando 2018 com inflação de 3,71% – apenas em dezembro a elevação foi de 0,85%. Essa alta se deu, portanto, bem acima do IPCA de dezembro, que foi de apenas 0,15%, o menor índice para o mês desde a criação do real.

Outros itens pesquisados pelo IBGE também apresentaram alta em 2018. Foram os casos de outras bebidas alcoólicas, seja no domicílio, com elevação de 3,57%, ou fora do domicílio, com inflação de 2,37%, além do setor de alimentação e bebidas, com aumento nos preços de 4,04%.

Desses elementos pesquisados, apenas o item outras bebidas alcoólicas no domicílio teve deflação em dezembro, de 1,07%. Os demais apresentaram inflação: outras bebidas alcoólicas fora do domicílio (0,16%) e alimentação e bebidas (0,44%).

O IBGE explica que, na variação anual, o item alimentação e bebidas também foi o grande “vilão” da inflação – esse grupo responde por cerca de 1/4 das despesas das famílias e foi o principal impacto no ano com 0,99 p.p.

“Vale lembrar que, no final de maio de 2018, a paralisação dos caminhoneiros provocou um desabastecimento, o que impactou os preços de diversos produtos, levando o grupo a apresentar variação de 2,03% em junho, a segunda maior para um mês de junho desde a implantação do Plano Real”, aponta o IBGE, antes de arrematar.

“Os preços dos alimentos para consumo em casa, cujo peso é 15,7%, subiram 4,53%, enquanto a alimentação consumida fora de casa, que pesa 8,8% no índice, apresentou variação de 3,17%”, complementa o instituto.



0 Comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password