Balcão da Copa Cervezas: Um pouco da história da cerveja chilena

Conhecido em todo o mundo pela produção de vinhos e por uma geografia de extremos – entre o Pacífico e a Cordilheiras dos Andes -, o Chile também tem uma ligação histórica com a cerveja artesanal. Assim como em outras partes da América, a cerveja foi introduzida no país por imigrantes ingleses e alemães, que trouxeram consigo uma nova tradição cervejeira.

Junto à importação de novas cervejas, começou no Chile um processo de industrialização, resultando na abertura de cervejarias em várias regiões – alguns registros datam de 1822 em Santiago e 1825 em Valparaíso. Outros locais também sediaram a criação de novas cervejarias para atender um público que não era contemplado devido às condições de transporte e distribuição, fragmentando a indústria.

Essa fragmentação começa a declinar no final do século XIX, com a melhoria das redes de transporte. Com isso, se inicia uma fase de concentração da produção. A recém-criada Compañía de Cervecerías Unidas (CCU) abarcou quase a totalidade do mercado nacional.

A monopolização da produção durou até os anos 90, com o nascimento de novas cervejarias como Kunstmann, Colonos, Monteverde, Märzen e HBH, que entregaram uma proposta mais artesanal para o consumidor.

Hoje o Chile conta com cerca de 400 cervejarias. Los Rios, Araucanía, Valparaíso e RM Santiago concentram quase 80% das plantas. Além disso, se considerarmos a efervescência do movimento cervejeiro da América Latina, o Chile ocupa o 3º lugar em relevância no mercado, ficando atrás do Brasil e da Argentina.

Com cerca de 17 milhões de habitantes no país, a cerveja artesanal tem uma taxa de penetração de 2% no Chile. Uma participação que pode ser ainda maior, se consideradas as cervejarias maiores ou incluída a importação de cervejas especiais da Europa e dos Estados Unidos, podendo chegar facilmente a 4%.

Publicidade

Com a proposta de voltar às origens da cultura cervejeira chilena, a Copa Cervezas de América transfere-se, em 2019, para a colorida cidade de Valparaíso, localizada a 112 quilômetros da capital Santiago. Em paralelo à 8ª edição do concurso, uma semana inteira de atividades vai resgatar a história e aproximar os participantes da cena cervejeira chilena. Entre elas, conferências, tour a bares, cervejarias, workshops e o mais esperado beer boat, nas águas do Oceano Pacífico. Tudo isso, de 26 a 31 de agosto.

Uma oportunidade única que vai reunir história, cultura e cerveja artesanal nessa cidade portuária que é patrimônio da humanidade pela Unesco. Um convite irrecusável para conhecer o lado cervejeiro chileno.


Sarah Buogo, jornalista, diretora da empresas PubliBeer e Publié Conteúdo, é Beer Sommelier pelo Science Of Beer Institute e embaixadora da Copa Cervezas de América no Brasil desde 2014

Veja também:

Infográfico: Os premiados da Copa Cervezas de América
Brasil fatura os 2 principais prêmios da Copa Cervezas de América

0 Comments

    Leave a Comment

    Login

    Welcome! Login in to your account

    Remember meLost your password?

    Lost Password