Produção de bebidas alcoólicas cai pelo 3º mês consecutivo
Últimos destaques Novo

Produção de bebidas alcoólicas cai pelo 3º mês consecutivo

produção de bebidas
Queda em agosto foi de 2,7%. Ainda assim, fabricação de bebidas alcoólicas permanece em alta em 2019, com ampliação de 4,6%

Em crescimento até maio, a produção de bebidas alcoólicas tem despencado desde então no Brasil. Pelo terceiro mês seguido houve queda na fabricação, agora de 2,7% em agosto, de acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Não acompanhou, portanto, o ritmo da produção industrial brasileira, que cresceu 0,8% no oitavo mês do ano.

Ainda assim, a produção de bebidas alcoólicas permanece em alta em 2019, com ampliação de 4,6% até agosto. Já o crescimento no período de 12 meses é de 1,6%. Só que esses números são baseados em um comparativo com o ano passado, quando a produção caiu 1,4%.

O cenário de queda na fabricação em agosto se repete na indústria de bebidas em geral. Houve redução de 3,7% no oitavo mês do ano, ainda que os dados permaneçam positivos em outros cenários, com crescimento de 2,9% no somatório de 2019 e de apenas 0,1% nos últimos 12 meses.

Leia também: 5 cervejas medalhistas no Prêmio da Embalagem Brasileira

A queda se repetiu com a produção de bebidas não-alcoólicas: a redução foi de 4,7% na comparação com o mesmo período de 2018. Até há elevação de 1% nos oito primeiros meses de 2019, mas o resultado é negativo em 1,5% no acumulado dos últimos 12 meses.

Os números também são ruins para a indústria nacional, ainda que tenha registrado crescimento de 0,8% no oitavo mês de 2019, na comparação com julho. Mas há encolhimento de 2,3% em relação a agosto de 2019 e de 1,7% em 2019 e nos últimos 12 meses.

“É claro que agosto mostra um crescimento, mas tem a característica de estar muito concentrado em uma das quatro grandes categorias econômicas e em 10 dos 26 ramos pesquisados. Ou seja, o perfil de expansão não está disseminado para outras atividades”, avalia André Macedo, gerente da pesquisa, referindo-se à indústria extrativa, que cresceu 6,6% no mês.


0 Comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password